Compartilhe:

Ketamina: Conheça os perigos dessa nova droga.


Ketamina: Conheça os perigos dessa nova droga.

Ketamina: Conheça os perigos dessa nova droga

Indicada para procedimentos cirúrgicos, a ketamina – ou cetamina, como também é conhecida, é um anestésico dissociativo, normalmente encontrado em versão líquida ou em pó.

 

Por produzir efeito sedativo nos pacientes, a ketamina também é utilizada por algumas pessoas como uma espécie de droga recreativa, devido os efeitos de alucinógenos que ela causa, além de provocar a redução da mobilidade, que proporciona ao usuário a sensação de estar fora do seu corpo. A droga pode ser inalada, aplicada por meio de injeção ou fumada.

 

Assim como qualquer outra substância, a ketamina causa uma série de danos à saúde, além de deixar seus usuários mais vulneráveis a perigos. Neste artigo, nós abordamos os efeitos que este anestésico causa, bem como suas consequências ao organismo. Confira!

 

Quando a ketamina surgiu?

 

Originalmente utilizada como anestésico, a ketamina foi sintetizada pela primeira vez no ano de 1962, pelo químico norte-americano Calvin Stevens, sendo posteriormente aprimorada para atender os soldados do país durante a Guerra do Vietnã – que teve início nos anos 50 e se estendeu até 1975.

 

A droga só viria a ser consumida de forma recreativa na década de 1990 e, assim como o ecstasy, por exemplo, a ketamina se popularizou em danceterias e demais eventos sociais.

 

Quais são os efeitos da ketamina?

 

Ao contrário da maioria das drogas, os efeitos da ketamina não passam quando o usuário deixa de consumi-la. Isso significa que, mesmo após horas do último uso, os efeitos serão prolongados, incluindo os secundários.

 

Entre os efeitos que a ketamina pode causar ao indivíduo estão:

 

- Alucinações e delírios;

 

- Euforia;

 

- Vertigem;

 

- Náuseas;

 

- Vômito;

 

- Apagões;

 

- Quando injetada, dor no local da aplicação;

 

- Retardo nos movimentos;

 

- Psicose;

 

- Problemas respiratórios;

 

- Pressão alta;

 

- Hipertensão;

 

- Aumento da frequência cardíaca;

 

- Experiência de quase morte.

 

Em relação aos efeitos à longo prazo da ketamina, podemos destacar a dificuldade em executar movimentos, em falar e enxergar, problemas de memória, déficit de atenção, aumento da depressão, incontinência urinária, irritação ao urinar, redução do volume da bexiga e presença de sangue na urina.

 

Mas afinal, qual o grande perigo desta droga?

 

Apesar dos efeitos da ketamina à longo prazo, o principal perigo desta droga são os apagões que ela causa em seus usuários.

 

Por conta de seu efeito, a ketamina é uma das drogas utilizadas no “Boa noite, Cinderela”, coquetel utilizado por criminosos para roubar ou estuprar suas vítimas. Além do apagão, a droga também pode dificultar a mobilidade do usuário (tornando-o mais vulnerável a sofrer alguns dos crimes citados) e provocar uma espécie de amnésia.

 

Este alucinógeno pode levar seus usuários ao vício, sendo uma das substâncias do gênero que mais causa dependência química.

 

Nestes casos, somente uma clínica especializada no tratamento de dependentes químicos poderá auxiliar o paciente a abandonar o consumo e se curar, uma vez que ela conta com profissionais das mais diversas áreas da saúde, como médicos, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, entre outros.

 

Gostou deste artigo? Agora que você já sabe quais são os perigos da ketamina, não deixe de acompanhar as demais publicações do blog.

Tratamentos

Blog

Informativos para auxílio da família,dependentes químicos e alcoólicos

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

A submissão química é uma enfermidade contemporânea que acarreta prejuízo as biografias e famílias.

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Iremos abordar neste texto as drogas alucinógenas, seus efeitos e deliberações

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

É praxe articular comportamentos adictivos com o excesso de substâncias como a droga e o bebida alcoólica.

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

No Brasil, de concordância com o Texto 243 do Lei da criança e do Adolescente,