Compartilhe:

A depressão


A depressão

A depressão

Estamos habituados a atribuir, a depressão à tristeza, no entanto é necessário compreender que ela vai muito, além disso.

Sentir tristeza e para baixo por um período, faz parte da vida. No entanto se o vazio, a desesperança e o desespero são duradouros pode ser indício de depressão.

A tristeza é um sentimento passageiro e quando uma pessoa está triste é capaz de reagir atendendo a estímulos de satisfação, porém, alguém em estado depressivo pode manter-se angustiante por dia e atividades normalmente prazerosas podem não despertar interesse algum.

A sensação de ausência de poder e gerenciamento sobre a própria vida, a visão negativa do mundo e a indiferença em conflitos e confrontos são atribuídos a comportamentos depressivos.

A depressão é uma doença que necessita de tratamento, visto que afeta o dia-a-dia do paciente e interfere ativamente em sua vida.

Muitas vezes a família, colegas ou pessoas mais próximas, sem ter conhecimento da doença, lidam de maneira agressiva e impaciente, infelizmente piorando o quadro da doença e intensificando a pouca autoestima do paciente.

Há diversos tipos de distúrbios depressivos e os principais são:

Depressão Maior

Esta por sua vez é grave afetando o cotidiano do indivíduo, dormir, estudar, comer e aproveitar a vida. Este pode acontecer apenas uma vez na vida da pessoa, mas também tem acontecido muito mais de um episódio.

Depressão Persistente

Uma pessoa diagnosticada com depressão insistente pode ter eventos de depressão maior juntamente com sintomas menos sérios, no entanto os sintomas da depressão devem durar por dois anos.

Algumas formas de depressão são moderadamente diferentes, ou podem se aperfeiçoar sob circunstâncias únicas:

  • Depressão Psicótica:

Essa é de uma pessoa com uma depressão séria e grave  junto com algum tipo de psicose, como crenças fantasiosas, uma quebra com a realidade (delírios) ou alucinações, como ouvir coisas que as demais pessoas não podem escutar ou perceber

Muitas mulheres já passaram por essa grave depressão após o parto, quando os hormônios se desequilibram mudanças físicas e a nova obrigação de assistência de um recém-nascido pode se transformar uma preocupação esmagadora. Calcula-se que de 10 a 15 por cento das mulheres são vítimas com depressão pós-parto.

  • SAD

Caracteriza-se por aparecimento da depressão ao longo dos os meses de inverno, quando há menos luz solar natural. Este tipo de depressão para de ocorrer ao longo da a primavera e o verão. O SAD pode ser descrito com a tratamento da luz, porém quase metade das pessoas que são vítimas com ela não melhora apenas com este tipo de terapia. Antidepressivos e psicoterapia podem auxiliar a diminuir os sintomas sendo empregados sozinhos ou em conjunto com a terapia da luz.

  • Transtorno Bipolar ou maníaco depressivo:

Não tão comum como a depressão maior ou o transtorno depressivo insistente O transtorno bipolar é definido pelo ciclo de mudanças de humor extremas. De um humor alto para extremamente baixo.

A melhor maneira de determinar se você possui problemas com a depressão é mencionar com um profissional de saúde qualificado.

Compreenda que adquirir um diagnóstico fundamental é um passo importante na abordagem de qualquer doença. O diagnóstico só pode ser alcançado após uma avaliação completa e adequado por um profissional que leva em consideração os sintomas e histórico médico.

O que é o crack?

O crack é uma combinação da pasta-base de cocaína refinada com bicarbonato de sódio e água. Muitas vezes a combinação é falsificada com o acréscimo de cimento, cal, querosene e acetona, para ampliar o seu volume. Quando aquecida, a mistura divide as substâncias líquidas das sólidas. O liquido é dispensado e fica o “crack”.

Leva 10 segundos para ter o efeito, causando agitação e excitação; respiração e batimentos cardíacos acelerados, seguido de depressão, delírio e “fissura” por outras doses.. Os pedaços grossos secos têm várias impurezas e também contêm bicarbonato. Os últimos explodem ou racham (crack) como diz o nome.

Cinco a sete vezes mais forte do que a cocaína, o crack é também muito mais cruel e mortífero do que ela. Possui um poder avassalador para alterar a personalidade, agindo em período muito curto e gerando ampla dependência psicológica. Assim sendo como a cocaína, não causa dependência física, o corpo não sinaliza a ausência da droga.

As primeiras percepções são de bem-estar, representadas como o estalo, um relâmpago, o “tuim”, na linguagem dos consumidores Na segunda vez, estas já não surgem Logo os neurônios são lesados e então o coração entra em descompasso (de 180 a 240 batimentos por minuto). Há perigo de hemorragia cerebral, fissura, alucinações, delírios, convulsão, infarto agudo e morte.

O pulmão se fragmenta. Problemas respiratórios como congestão nasal, tosse insistente e expectoração de mucos negros relatam os estragos sofridos.

As dores de cabeça, tonturas e desmaios, tremores, magreza, transpiração, palidez e nervosismo atormentam o caqueiro. Outros sinais importantes são agitação desinibição, alvoroço psicomotora, taquicardia, dilatação das pupilas, elevação de pressão arterial e transpiração intensa. São normais queimaduras nos lábios, na língua e no rosto pela aproximação da chama do isqueiro no cachimbo, no qual a pedra é fumada.

Uma das maiores dificuldades nos tratamentos para dependentes da maconha consiste em sua agilidade de aquisição e na crença de que a maconha não gera dependência.

A linha delicada entre o universo saudável e o mundo das drogas tem se tornando parte de nossa realidade. A maconha, depois do álcool, é o maior exemplo de que as entorpecentes podem estar nos bem mais diferentes lugares, com aqueles em que nós menos esperemos e é extremamente usada para as mais diversas situações.

A liberação, defendida por diversos para fins medicinais e outros como forma de liberdade (escolha), é um dos grandes assuntos que geram discussões e conflitos de opiniões em todo o Brasil.

Para a classe consumidora desse mal por lazer e satisfação, é importante ter a compreensão do risco que a substância pode vir a produzir em sua vida.

Todo uso de drogas que causa consequências tanto para o estado de saúde física como mental e psicológica, trazendo à tona, um lado confuso e sem limites do usuário para alimentar o seu vício.

Nos tratamentos para dependentes da maconha, o bem mais difícil é compreender o mal da droga.

A maconha é hoje a droga ilegal mais usada em todo o mundo. Muito em função de seu menor custo, o indivíduo consegue manter a regularidade de consumo e localizar pontos de venda com muita facilidade.

Para os novos dependentes, isto é, um imenso problema a ser encarado já que a substância se mantem existente em sua rotina e muitas vezes o indivíduo acaba sendo atraído por seus amigos a ingressar na onda.

Um dos maiores desafios é a compreensão do indivíduo que a maconha é sim uma droga, que causa dependência e deterioração da estrutura familiar.

Envolvido pelas consequências do vício, o indivíduo começa a se expressar de tal modo que o convívio com os seus familiares e amigos próximos acaba sendo atingido complicando uma possível recuperação do indivíduo.

A porta de entrada para mundo das drogas

Muito se diz, dentro da mídia principalmente que a maconha é considerada a porta de entrada para o universo das drogas, porém é muito simplista dizer isso.

O consumo das drogas é associado a diversos outros motivos, não eximindo a maconha de sua responsabilidade introdutória, entretanto, que não por ela apenas, mas todos os elementos como o menor custo e CAPACIDADE de acesso, contribuem para essa reputação.

O primeiro passo para o sucesso nos tratamentos para dependentes qu&i

Tratamentos

Blog

Informativos para auxílio da família,dependentes químicos e alcoólicos

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

A submissão química é uma enfermidade contemporânea que acarreta prejuízo as biografias e famílias.

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Iremos abordar neste texto as drogas alucinógenas, seus efeitos e deliberações

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

É praxe articular comportamentos adictivos com o excesso de substâncias como a droga e o bebida alcoólica.

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

No Brasil, de concordância com o Texto 243 do Lei da criança e do Adolescente,