Compartilhe:

Você já ouviu falar em drogas recreativas?


Você já ouviu falar em drogas recreativas?

Você já ouviu falar em drogas recreativas?

Você já ouviu falar em drogas recreativas? Elas são substâncias, geralmente psicoativas, usadas em contextos de lazer. Apesar da maioria delas ser ilegal, ou pelo menos socialmente reprovável, existem também as legais.

 

As drogas recreativas - cujo contexto também é chamado de uso recreativo de drogas - são caracterizadas pelo uso eventual. Contudo, é importante lembrar que mesmo o uso esporádico pode causar danos ao cérebro e ao corpo.

 

Uso de drogas recreativas

 

Não existe uma classificação específica para drogas recreativas. Os que os especialistas pontuam é que as substâncias podem acabar virando recreativas. Isso acontece principalmente com drogas que possuem relações com eventos sociais como festas, baladas, encontros, etc.

 

O uso recreativo de drogas se dá por vários fatores, inclusive sociológicos. Em rituais religiosos de povos pré-históricos era comum o uso de substâncias que alteravam a percepção dos sentidos. Elas serviam para que os integrantes entrassem em contato com suas divindades.

 

Hoje em dia, a questão social se modificou, sendo que aspectos de coesão e identificação de grupo ainda estão presentes. Atualmente, as drogas recreativas são usadas em grande parte em situações de festividades e descontração com amigos. Neste contexto, as substâncias servem como um meio para fazer as pessoas se sentirem parte daquele grupo, por exemplo.

 

A situação pode servir para as drogas mais aceitas socialmente como o álcool até outras mais destrutivas como a metanfetamina. Apesar das diferenças, o que aproxima os dois mundos é justamente a situação recreativa.

 

Drogas recreativas mais comuns

 

Com o passar do tempo as drogas vão se modificando. Com isso, algumas acabam sumindo ou têm seu uso diminuído. O LSD, por exemplo, ficou bastante popular nas décadas de 50 e 60. Ele chegou a ser considerado a “hóstia” do movimento hippie. Hoje em dia seu uso decaiu bastante e foi substituído por outras substâncias.

 

Entre as drogas recreativas mais comuns atualmente estão:

 

    Álcool (cerveja, uísques e cachaças);

 

    Cocaína;

 

    Maconha;

 

    Heroína;

 

    Anfetaminas (metanfetaminas e ecstasy);

 

    Solventes ou inalantes (loló e lança-perfume);

 

    Tabaco (cigarros, charutos e narguilés).

 

Malefícios

 

Como as drogas recreativas são justamente aquelas usadas em contextos de lazer, muita gente subestima seus malefícios. Para diminuir o fato, muita gente justifica que faz o uso da substância somente de vez em quando com os amigos.

 

Porém, mesmo nestes casos o uso das drogas representa perigo. Muitas das drogas que se encaixam no uso recreativo não possuem quantidades de uso seguras. As ilícitas, principalmente, além de seres ilegais possuem um forte poder de viciar o usuário. E os especialistas lembram que todos os vícios começam justamente a partir de usos eventuais.

 

Por causa das variáveis genéticas, psicológicas e ambientais não é possível prever quem se tornará um dependente e quem não se tornará. Além de tudo isso, muitas drogas recreativas acabam sendo usadas junto de remédios, o que pode piorar a condição física e mental.

 

As drogas recreativas, portanto, devem ser evitadas. Em menor e maior grau, dependendo da substância, os riscos associados a elas existem e podem prejudicar muito a vida de uma pessoa.

Tratamentos

Blog

Informativos para auxílio da família,dependentes químicos e alcoólicos

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

Importância da psicoterapia grupal no processo terapêutico.

A submissão química é uma enfermidade contemporânea que acarreta prejuízo as biografias e famílias.

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Drogas Perturbadoras/Alucinóginas

Iremos abordar neste texto as drogas alucinógenas, seus efeitos e deliberações

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

COMPORTAMENTOS ADICTIVOS

É praxe articular comportamentos adictivos com o excesso de substâncias como a droga e o bebida alcoólica.

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

Como Proteger-se o Alcoolismo na juventude

No Brasil, de concordância com o Texto 243 do Lei da criança e do Adolescente,