Será Que a Esquizofrenia Possui Cura

Será Que a Esquizofrenia Possui Cura?

Não é possível entender uma distúrbio mental e, em casos como os da esquizofrenia, o que se entende é que ela é, talvez, uma das formas mais cruéis de despossar a saúde, quando o que vai embora é exatamente tudo aquela coisa que entendemos por existência.

O paciente passa a ter uma compreensão distorcida que é real e do que não é. Em vários casos, inicia a escutar vozes, ter alucinações, dificuldades de se relacionar e se comunicar com outras indivíduos.

Há similarmente os pacientes que se tornam apáticos, fechados em seu próprio mundo, assim como há aqueles que evidencia firmeza de que são o alvo de complôs e perseguições diabólicas.

Nessas situações, não adianta frequentar com a indivíduo e experimentar realizar com que ela entenda que está passando por um hora de disparate.

Apenas no Brasil, a estima é de que 800 mil indivíduos sofram com essa enfermidade, que acontece frequentemente entre os 16 e 30 anos.

Felizmente, já há tratamentos e remédios psiquiátricos que podem moderar aproximadamente todos os casos, porém será que a falta de interação com o mundo exterior possui cura?

Boas notícias

De acordo com o Mother Nature Network, há cerca de 80 anos, antes do primeiro remédio para a enfermidade, vários pesquisas haviam indicado que 20% dos pacientes acabavam se recuperando sozinhos, com o mudar do tempo.

Nos dias de hoje essa proporção subiu, e novos pesquisas sugerem que a recuperação é possível para até 60% dos pacientes em tratamento.

É necessário supervisionar que, no momento em que se trata de esquizofrenia, a palavra “ recuperação ” possui outro intuito.

Para os médicos, a recuperação de um paciente esquizofrênico significa a apresentação de sinais mínimos da enfermidade em um tempo de 6 meses, ao menos.

Não significa, então, que essa doença  deixa de interessar e some, como se fosse uma dor de garganta.

Como lembrou a Dra. Gilda Baio, psicóloga do Hospital Infantil Nicklaus, em Miami, as chances de recuperação são bastante maiores em pacientes que não demoraram a encontrar que tinham a enfermidade.

Além disso, indivíduos que se recuperam da enfermidade frequentemente evidencia bons círculos sociais, trabalham, contam com a auxilia dos colegas, da biocenose no qual vivem e são capazes de montar similarmente com o guarida privado. Todos estes quesitos são impreterivelmente essenciais.

Questões de recuperação

 O Dr. Richard Warner, diretor do Centro de Recuperação do Colorado, publicou alguns pesquisas sobre da recuperação de pacientes esquizofrênicos.

De acordo com ele, aqueles que trabalham podem se restabelecer de forma mais eficaz. No caso de pacientes de países com mais vagas de trabalho, o que se entende é que essas indivíduos apresentam ótimos resultados no momento em que passam por um processamento de recuperação vocacional.

Warner acredita similarmente que é necessário remover o mácula intimidador das doenças mentais.

Nesse intuito, denominações como “ louco ”, “ fora da nicho ” e “ alucinado ” poderiam deixar de ser usadas de uma vez por todas, afinal de contas não são nada esclarecedoras e apenas contribuem com o preconceito.

Há relatos similarmente de pacientes que se recuperaram melhor e mais depressa no momento em que não consumiam bebida alcoólica e mais tipos de drogas.

Aumento

 E o tempo, de fato, parece ser um bom amigo no processamento de recuperação. Mirrar, de fato, auxilia a coarctar os sinais.

O próprio John Nash, matemático ganhador de um Nobel, esquizofrênico e cuja história foi contada no filme

Uma Mente Luzidio, pela certa vez revelou a um colega, em uma letra, que as mudanças mais significativas com correlação à enfermidade vieram com o envelhecimento.

No momento em que o que está em agenda é um tipo de enfermidade intelectual, a medicina também não possui todas as respostas.

Felizmente, com os avanços em terapias e remédios, o modus operandi, digamos dessa maneira, da falta de interação com o mundo exterior é mais bem conhecido e projetado.

Também não há como confirmar que todos os pacientes são capazes de se recuperar, porém é possível expressar que, na maior parte dos casos, a enfermidade possui controle. E isto, por si apenas, já é um grande aumento.