Drogas na gravidez

Drogas na gravidez

A gravides e a dependência em drogas são duas situações que não combinam, em qualquer tese. Utilizar substâncias de Drogas na gravidez enquanto se está esperando um bebê pode prejudicar a saúde da mãe, do bebê e resultar várias problemas no invenção — e as lesões na criança são capazes de ser irreversíveis! Então, o utilização das drogas na gestação precisa ser totalmente vetado.

Dentre os riscas que circundam o utilização de drogas na gravidez ao longo a preparação estão os complicações no recém-nascido, além de outras doenças consecutivos de elementos genéticos e ambientais que afetam a criança.

Pensando nessa história, neste post você vai saber melhor alguns desses riscas, que são capazes de ser letais. Continue a texto e acompanhe!

Quais são os riscos para mãe e bebê por causa de ao utilização de drogas na gestação?

 

1. Complicações de renúncia nos recém-nascidos

Tudo o que é usado pela mãe passa para o bebê por meio da placenta e da corrente sanguínea — e com as drogas não é distinto. O feto, então, acaba por utilizar uma porção dessas substâncias ao longo a preparação.

Dessa maneira, logo após nascerem, os bebês são capazes de entregar quadros de renúncia dessas drogas ingeridas, com quadros de convulsões e tremores.

2. Déficit racional

O uso de bebida alcoólica similarmente precisa ser vetado ao longo a gestação — se engana quem pensa que a elemento não pode ser surpreendentemente danoso para o bebê.

Com a consumo de bebida alcoólica ( mesmo em quantidades mais baixos ) depois de o alcoviteiro ou quarto mês de preparação, o feto pode sentir da tragada Síndrome Fetal Alcoólica, capaz de resultar microcefalia discreta, déficit racional e mais quadros psicológicos.

3. Lesões no progresso do feto.

Se a mulher grávida for usuária de drogas na gravidez mais pesadas ( como anfetamina ou cocaína), ou drogas psicotrópicas ( como bebida alcoólica ou soníferos) o feto será capaz de reproduzir má formação ou lesões fetais em seu progresso.

O uso do bebida alcoólica similarmente pode provocar a um dever inconvertível do sistema nervoso central do feto, causando quadros de microcefalia. Além disso, são capazes de acontecer modificações oculares e cardiopatia congênita ( alteração na estrutura do coração ).

4. Infecções materno-fetais

Os complicações ocasionados pelas drogas vão bastante além do contato direto da remédio com o feto. As mães usuárias dessas substâncias químicas são capazes de reproduzir doenças que passam de modo direto para o bebê, como sarampo, treponemíase, toxoplasmose, impetigo, citomegalovírus, entre outras várias transmitidas no compartilhamento de agulhas, por exemplo.

Similarmente é possível ocorrer contaminação por relações sexuais, como é o caso do citomegalovírus, um tipo de impetigo que te maiores chances de andaço quanto há troca constante de parceiros sexuais.

Isto visto que, várias vezes, sob o resultado de drogas na gravidez, a mulher executa atividades sexuais com vários parceiros, correndo o perigo de prejudicar a criança, que pode nascer com a enfermidade e entregar complicações no valor, fraqueza, colite necrosante e pneumonia.

5. Natimorto

Natimorto, ou nato-morto, é a título conhecida ao feto que morre dentro do útero da mãe. Há muitas capacidade para que isto aconteça na gestação, não obstante, o utilização de qualquer entorpecente ao longo o tempo de preparação — com independência da dose — amplifica exponencialmente este perigo à vida do filho e da mãe.

6. Aborto involuntário

O aborto involuntário é um processamento ativo que finaliza a preparação antes de adicionar todas as semanas. Lamentavelmente, estes casos são bastante característicos entre mães que usaram ou continuam usando qualquer elemento maléfica à saúde.

O utilização de drogas na gestação potencializa os riscas de um aborto involuntário, podendo, até mesmo, fomentar graves complicações ao corpo da mãe.

7. Surgimento precipitado

Outro grande dificuldade surtido pelo utilização de drogas na gravidez na gestação é a autenticidade de um surgimento precipitado. Nesses casos, o bebê não se desenvolve no tempo comum, e sua saúde pode ficar debilitada, aumentando as chances de progresso de doenças imunológicas e até hemorragias cerebrais.

8.Microcefalia

A microcefalia é uma requisito neurológica rara caracterizada por anomalias no desenvolvimento do cérebro dentro do cérebro. Suas motivos são capazes de ser genéticas ou ambientais. Nesse último caso, o utilização de drogas é um dos principais possibilitadores do dificuldade.

Também não há como antecipar os possíveis casos oriundos de utilização de entorpecentes. A única maneira de suavizar os riscas depende exclusivamente da mãe, no momento em que tenta entravar os seus vícios.

9. Deficit de atenção

Este quadro é comum no tempo da infância em algumas crianças, e costuma se demorar para a vida toda. Ele não possui cura e atrapalha no performance de qualquer exercício e ensino profissionalizante — e, mais uma vez, as drogas na gestação são um verdadeiro vilão para o progresso desse transtorno nos filhos de mães usuárias.

Somos especializados no encaminhamento e tratamento de usuários de drogas e alcoolismo. Entre em contato com a Instituição Clinica  Recuperando Vida para conversarmos mais. Entre em Contatos: (19) 3427-1643